Carajás Esporte

verde

Brasil mostra evolução e vê defesa impulsionar contra-ataques

Seleção masculina de vôlei brilha na parte defensiva, característica forte dos japoneses, e converte 40 bolas defendidas em contra-ataques nos 3 a 0 sobre japoneses

Na vitória sobre o Japão, que garantiu a classificação do Brasil às oitavas de final do Mundial masculino de vôlei, a seleção apresentou volume de jogo e mostrou evolução em quadra. Um dos pontos fortes da equipe de Renan Dal Zotto foi justamente uma característica forte do rival: a defesa. Os brasileiros tiveram 40 bolas defendidas que se transformaram em contra-ataques – e muitos pontos.

O Brasil joga contra o Catar nesta terça-feira, às 6h (de Brasília). O sportv2 transmite a partida ao vivo, e o ge acompanha tudo em tempo real

– Sabíamos que seria um jogo tenso, pois o Japão vem crescendo a cada ano e exige muito dos adversários. Iniciamos com dificuldades com o saque deles, mas tivemos paciência e nos reorganizamos. Tivemos 40 bolas defendidas que geraram contra-ataques, enquanto os japoneses tiveram 30. Este é um dado importante, pois mostra como nosso sistema de bloqueio e defesa funcionou bem hoje. Ficamos felizes pela classificação antecipada e pela evolução do time – explicou o técnico Renan Dal Zotto.

Não foi apenas na defesa a vantagem brasileira na partida. O central Lucão, que na semana anterior ao Mundial sofreu uma lesão no tornozelo direito durante um treinamento mas se recuperou a tempo da estreia, avaliou que o bom posicionamento do bloqueio foi essencial para que a seleção tivesse mais volume de jogo, fazendo a bola rodar mais fluida para a definição dos pontos.

– Conseguimos organizar bem nosso sistema de defesa e bloqueio, estudamos muito bem o adversário. Começamos o jogo com alguma dificuldade, principalmente pelos méritos do saque deles. Sabíamos deste potencial. Mas na parte de bloqueio jogamos muito bem, conseguimos nos estruturar, marcamos os principais jogadores japoneses e criamos um volume.

O Brasil estreou no Mundial vencendo Cuba por 3 sets a 2, num jogo em que teve desempenho irregular. Começou perdendo os dois primeiros sets para vencer facilmente os dois seguintes. No tie-break, viu Cuba ter match point mas conseguiu a vitória. Quarta colocada nas Olimpíadas de Tóquio, a equipe brasileira vem do sexto lugar na Liga das Nações, em que perdeu todos os jogos contra os favoritos (Estados Unidos, sendo duas vezes, Polônia e França).

O Brasil volta a jogar na terça-feira, dia 30 de agosto, às 6h (de Brasília), contra o Catar. Será o último jogo na fase classificação da seleção, que já está garantida nas oitavas de final. Se vencer, no entanto, a equipe brasileira confirma o primeiro lugar no grupo B e, teoricamente, terá um chaveamento mais fácil na sequência. Já o Japão enfrentará Cuba em um duelo direto pela sobrevivência.

O formato

 

A primeira fase do Mundial reúne seis grupos, com quatro seleções em cada um. As duas melhores de cada chave avançam, assim como os quatro melhores terceiros colocados. Na sequência, as equipes avançam para as oitavas de final, com jogos eliminatórios. Os classificados, então, avançam às quartas de final em busca de uma vaga na semi. A decisão está marcada para o dia 11 de setembro, na Polônia.

Os grupos

 

Grupos do Mundial de vôlei masculino 2022

Grupo A Grupo B Grupo C Grupo D Grupo E Grupo F
Ucrânia Brasil Polônia França Itália Argentina
Sérvia Japão Estados Unidos Eslovênia Canadá Irã
Tunísia Cuba México Alemanha Turquia Holanda
Porto Rico Catar Bulgária Camarões China Egito

Campanha do Brasil

 

30/08
6h – Brasil x Catar

COMPARTILHE

Recomendado para você

alegria
Autor de dois gols no último jogo, Esli quer “transmitir alegria” quando entra em campo
invicto
Com derrota da Tuna, Paysandu é o único invicto do Campeonato Paraense
FPF
Caeté e Águia repudiam ataque racista contra o atacante Fidelis
Parazão
Júlio foca em “corrigir erros” da Tuna para reverter vantagem do São Francisco no jogo de volta das quartas