Carajás Esporte

verde

MEDALHAS

Prata no vôlei, ouro de Rayssa e 2º geral do judô marcam semana olímpica

Brasil ainda fatura o título dos Jogos Sul-Americanos, com 133 ouros. Invicto no ano, Alison dos Santos, disputa prêmio de melhor do atletismo

Mais uma semana de medalhas para o esporte brasileiro. A seleção feminina de vôlei ficou com a prata no Campeonato Mundial, repetindo a posição alcançada nas Olimpíadas de Tóquio 2020 e na Liga das Nações 2022. As brasileiras chegaram às finais das três principais competições do vôlei: ano passado, foram derrotadas na final olímpica pelos Estados Unidos. Nesta temporada, perderam a final da Liga para a Itália. Neste sábado, a Sérvia levou a melhor da disputa pelo ouro do Mundial. Ouro que veio em dose dupla no Mundial de judô – depois de Rafaela Silva, Mayra Aguiar alcançou o topo do pódio em Tashkent. A semana terminou com mais uma conquista de Rayssa Leal no skate street. No Rio, ela foi campeã do STU Open, mantendo seu domínio da modalidade. A semana teve ainda a conquista do Brasil nos Jogos Sul-Americanos, evento multiesportivo da América do Sul.

Confira abaixo como foi a semana de medalhas para o esporte brasileiro.

PÓDIO PARA A SELEÇÃO DE VÔLEI

Gabi entra na seleção do Mundial de vôlei — Foto: Getty Images

Gabi entra na seleção do Mundial de vôlei — Foto: Getty Images

 

A renovada seleção feminina de vôlei perdeu a decisão para a Sérvia, no sábado, por 3 sets a 0. Foi a quarta medalha de prata em Mundiais (1994, 2006, 2010 e, agora, em 2022). O Brasil ainda tem o bronze em 2014. Na final deste sábado, as brasileiras chegaram a liderar o primeiro e o segundo sets, mas as sérvias – campeãs em 2018 – conseguiram a virada. Na terceira parcial, a equipe europeia comandou o placar, chegando ao bicampeonato mundial. Gabi e Carol, os dois destaques do Brasil no torneio, entram para a seleção do campeonato. Nesta segunda, no desembaque de parte da equipe em São Paulo, o técnico José Roberto Guimarães destacou a importância da prata.

– Agora, eu acho que por onde a gente passa hoje as pessoas parabenizam porque assistiram e acompanharam o processo. É complicado você atingir e chegar a uma final. Então eu acho que hoje se entende mais.

DOIS OUROS NO MUNDIAL DE JUDÔ

 

Mayra Aguiar é tricampeã mundial de judô — Foto: Kirill KUDRYAVTSEV / AFP

Mayra Aguiar é tricampeã mundial de judô — Foto: Kirill KUDRYAVTSEV / AFP

Em Tashkent, o Brasil terminou o Mundial de judô com dois ouros (Rafaela Silva e Mayra Aguiar), uma prata (Beatriz Souza) e um bronze (Daniel Cargnin). Enquanto Rafaela, campeã olímpica na Rio 2016, faturou o bicampeonato mundial, Mayra chegou ao terceiro ouro em Mundiais. Foi a sétima medalha na competição da judoca gaúcha, dona de três bronzes olímpicos em Londres 2012, Rio 2016 e Tóquio 2020. Com a campanha, o Brasil ficou em segundo lugar no quadro geral de medalhas, atrás apenas da potência Japão. Mais: após um ciclo apagado até Tóquio 2020, o judô brasileiro volta a mostrar força rumo a Paris 2024.

Rafaela chegou ao Rio, no sábado, sob os gritos de “campeã”. Mais uma reviravolta na carreira da multicampeã, que não pôde disputar os Jogos de Tóquio, ano passado, quando defenderia o ouro olímpico de 2016, por estar suspensa por doping.

No domingo, Mayra e o também gaúcho Daniel Cargnin (bronze olímpico em Tóquio 2020, mas numa categoria de peso abaixo daquela que competiu, agora, no Mundial) foram homenageados no jogo do Grêmio.

RAYSSA LEAL INVENCÍVEL

Rayssa Leal é campeã do STU Open 2022 — Foto: Victor Freitas

Rayssa Leal é campeã do STU Open 2022 — Foto: Victor Freitas

 

Na praça do Ó, no Rio, a medalhista olímpica Rayssa Leal seguiu seu domínio na temporada no skate street. Neste domingo, ela venceu o STU Open, superando Pamela Rosa, segunda colocada, e Chloe Covell, terceira. A maranhense de 14 anos, prata em Tóquio 2020, conseguiu a pontuação geral de 20,54. Rayssa soube explorar o maior corrimão e alcançou manobras impressionantes. Ela teve a maior nota da noite ao cravar um 7 em sua quarta manobra. Campeã do STU ano passado, ela venceu, nesta temporada, o X-Games de Chiba, no Japão, o STU Criciúma, o STU Recife, três etapas da SLS e, agora, o STU Rio. No Pré-Olímpico de Roma, no X-Games de San Diego (EUA) e no Dew Tour, ela não foi ao pódio.

ALISON DOS SANTOS CONCORRE A MELHOR DO ANO

Alison do Santos, Suíça — Foto: REUTERS/Arnd Wiegmann

Alison do Santos, Suíça — Foto: REUTERS/Arnd Wiegmann

 

Invicto na temporada 2022 nos 400m com barreiras, tendo conquistado o ouro no Mundial de Eugene (EUA), Alison dos Santos foi indicado, na quinta-feira passada, como um dos concorrentes ao prêmio de melhor atleta do ano, no atletismo, pela World Athletics, a entidade que comanda a modalidade. Público pode participar através de uma votação online nas redes sociais da World Athletics.

BRASIL CAMPEÃO DOS JOGOS SUL-AMERICANOS

A nadadora Giovanna Diamante foi a maior medalhista dos Jogos Sul-Americanos de Assunção — Foto: Wander Roberto/COB

A nadadora Giovanna Diamante foi a maior medalhista dos Jogos Sul-Americanos de Assunção — Foto: Wander Roberto/COB

Potência da América do Sul, o Brasil dominou os Jogos Sul-Americanos, disputados em Assunção. O Brasil levou 133 ouros e um total de 319 medalhas. Destes 133 ouros, 68 vieram com as mulheres e 53 com os homens, além de onze títulos em provas mistas. Nomes consagrados em suas respectivas modalidades foram campeões: Lais Nunes (wrestling), Ana Satila e Pepê Gonçalves (canoagem slalom), Felipe Wu (tiro esportivo), Caio Souza e Arthur Nory (ginástica artística), Ícaro Miguel e Milena Titoneli (taekwondo), Guilherme Costa (natação), Ana Marcela (águas abertas), Bárbara/Carol (vôlei de praia), Camila Lopes (ginástica trampolim) e Luca Kumahara (tênis de mesa). A nadadora Giovana Diamante saiu da competição com oito ouros e 10 medalhas. O último pódio brasileiro veio no polo aquático, em decisão contra a Argentina, único time que havia vencido os brasileiros, na primeira fase. Na final, no sábado, vitória verde-amarela nos pênaltis.

O Brasil também tinha outra meta importante em Assunção: conquistar o maior número possível de vagas para os Jogos Pan-Americanos do ano que vem, em Santiago. Ao todo, foram 114 vagas garantidas para o país, contando individualmente cada atleta, inclusive dos esportes coletivos.

Fonte: GE

COMPARTILHE

Recomendado para você

Rogério Ceni
Com piadas e sorrisos, Ceni traz versão paz e amor para Salvador: “Sorria, você está na Bahia”
VASCO
777 Partners se aproxima de acerto para compra do Everton
BOTAFOGO
Bruno Lage diz que protegeu elenco do Botafogo em coletiva: “Quero a pressão em mim”
copa do brasil
São Paulo tem maior tempo livre para treinos desde o Paulistão