Carajás Esporte

verde

Paredão chegou

Thiago Coelho é apresentado no Paysandu e fala sobre clássico Re-Pa: ‘Sei a importância’

O Paysandu Sport Club apresentou hoje, 5, de forma oficial, o goleiro Thiago Coelho. Ex-jogador do Remo, o arqueiro respondeu perguntas da imprensa e tocou em assuntos importantes para temporada de 2022.

Logo de cara, Thiago explicou como foi a negociação com o Papão. “Muito feliz de estar aqui, pela oportunidade de vestir essa camisa. Vamos ter muitos desafios pela frente, mas vamos superar. Devido as atuações que tive ano passado, tive a oportunidade de ter o interesse de vários clubes e o Paysandu foi um deles. Ao final da temporada começaram as conversas. Qualquer jogador fica contente em receber essa sondagem”, disse.

Apesar de ter passado três anos, Thiago nunca atuou em campo em um clássico Re-Pa. Ele confessa a expecativa de atuar no jogo e garante que a adaptação será fácil. “Nunca atuei num Re-Pa, mas tive em vários clássicos. Tô muito motivado pra fazer minha primeira partida pelo Paysandu. Sei o quanto é grande e a importância. A gente já se conhece há um tempo, sabe como trabalha. Isso também ajuda. Uma fase de conhecer todo mundo e também por estar em Belém e conhecer os campeonatos e os torcedores. No Re-Pa e qualquer outro jogo o atleta quer jogar. Você trabalha o tempo todo e quer ter a oportunidade de jogar. E quando essa chance aparece você tem que aproveitar. E foi isso que eu fiz”.

O arqueiro também fala da facilidade que terá, por já conhecer o time, alguns companheiros e o técnico Márcio Fernandes. “O Paysandu dispensa comentários. É um clube que todo mundo conhece. Quando veio o convite eu já conhecia. Quando o Márcio veio ficou bem mais próximo de acontecer. Tô bem confiante e tranquilo que as coisas vão acontecer bem aqui”.

Questionado sobre a família, Thiago se divertiu e revelou que a noiva é torcedora do Papão. “Tem uma parte da minha família que torce pro Remo. Mas a maior parte, que eu sei, torce pro Paysandu. Hoje, vou casar com uma paraense. Ela não é do esporte mas torce pro Paysandu, minha sogra é remista. Agora minha família é a dela e estão felizes que eu vim pro Paysandu. O clube deu uma camisa pra ela”.

 

(ROMANEWS)

COMPARTILHE

Recomendado para você

alegria
Autor de dois gols no último jogo, Esli quer “transmitir alegria” quando entra em campo
invicto
Com derrota da Tuna, Paysandu é o único invicto do Campeonato Paraense
FPF
Caeté e Águia repudiam ataque racista contra o atacante Fidelis
Parazão
Júlio foca em “corrigir erros” da Tuna para reverter vantagem do São Francisco no jogo de volta das quartas