Carajás Esporte

verde

Jornal vê provocação de Paulinho ao Leverkusen, e atacante diz: “Decisão política de não jogar”

Ex-jogador do Vasco não tem participado da maioria dos jogos após forçar saída do clube e protesta: "O Bayer teve a opção de me trocar por direitos financeiros e optou por me manter aqui"

O atacante Paulinho não tem tido dias fáceis na Alemanha após tentar forçar saída do Bayer Leverkusen, clube que tem contrato até junho de 2023. O atleta não tem sido escalado pelo técnico Gerardo Seoane. Até aqui, entrou em campo em apenas dois jogos dos oito disputados pelo time na temporada.

No último sábado, o jogador fez uma publicação no intervalo do último jogo do Leverkusen, contra o Hertha Berlim, que estava empatado. No vídeo publicado no Twitter, ex-Vasco aparece fazendo trabalhos físicos.

O jornal alemão “Bild” interpretou a postagem como uma provocação ao Leverkusen, já que ele não foi relacionado para a partida por opção do treinador. O periódico publicou uma nota dizendo que “Paulinho provoca fazendo musculação em pleno intervalo”. O brasileiro, então, respondeu afirmando que não joga por motivos políticos.

– Provocação? Sempre treinei duas horas desde que cheguei e não vou deixar de me preparar. A decisão POLÍTICA e não esportiva de não estar no jogo não é problema meu. O Bayer teve a opção de me trocar por direitos financeiros e optou por me manter aqui e pagar meu salário. Vou preparar e apoiar meus companheiros de equipe como sempre – disse o campeão olímpico.

Paulinho está desde 2018 no Bayer Leverkusen e tem contrato até 2023. O jogador, que não deseja seguir no clube, e deixou isso claro em entrevistas na última janela de transferências, poderá acertar com outro time sem custos a partir de janeiro.

 

COMPARTILHE

Recomendado para você

alegria
Autor de dois gols no último jogo, Esli quer “transmitir alegria” quando entra em campo
invicto
Com derrota da Tuna, Paysandu é o único invicto do Campeonato Paraense
FPF
Caeté e Águia repudiam ataque racista contra o atacante Fidelis
Parazão
Júlio foca em “corrigir erros” da Tuna para reverter vantagem do São Francisco no jogo de volta das quartas