Carajás Esporte

verde

fifa

Em menos de 48h, árbitra se torna 1ª mulher a apitar final masculina em MG e entra para o quadro da FIFA a partir de 2022

Árbitro se lesiona, Andreza Siqueira entra para a escala e apita decisão da Segunda Divisão do Mineiro. Entre escalação e jogo, árbitra recebeu informação sobre ingresso no quadro da Fifa

“Foi tudo de uma vez. Na quinta-feira a escalação para a final. Na sexta-feira a notícia que eu irei entrar para o quadro da Fifa a partir do ano que vem. E no sábado tive que ficar focada na partida. Então, assim, foi tudo de uma vez”

A rotina da arbitragem no futebol geralmente é agitada. Só que os últimos dias foram especialmente movimentados para Andreza Siqueira. Fora da escala, ela foi convocada às pressas para apitar a final da Segunda Divisão do Campeonato Mineiro, se tornando a primeira mulher a comandar uma decisão masculina no estado. Pouco depois, Andreza recebeu a informação de que será árbitra internacional a partir de 2022, quando passará a integrar o quadro de arbitragem da FIFA.

Andreza contou ao ge sobre o turbilhão de emoções que viveu nas últimas horas, como recebeu a oportunidade de apitar uma decisão de campeonato, falou sobre a sensação de usar o distintivo da principal entidade do futebol mundial e revelou os objetivos profissionais dela para 2022.

De repente, final!

A Federação Mineira de Futebol tinha definido que João Luiz Gomes Neto apitaria o segundo jogo da final da Segundona entre Uberaba e Varginha. Porém, um imprevisto modificou a escala do fim de semana. João fraturou o pé direito em acidente de carro.

Assim, na quinta-feira, Andreza, que no fim de semana seria árbitra em uma partida feminina não oficial em Nova Lima, foi convocada para apitar o jogo decisivo, marcado para o último sábado, no Uberabão.

– O João merecia muito essa final pelo campeonato que ele fez. Então, eu quis honrar o nome dele. Foi triste o motivo. Eu liguei para ele, falei que estava triste com a situação. Mas alguém teria que substituí-lo. Ter sido escolhida foi uma honra – falou Andreza.

Na sexta-feira, véspera da final, outra novidade agitou o dia de Andreza. Enquanto arrumava a mala para viajar rumo ao Triângulo Mineiro, ela recebeu a notícia de que será árbitra FIFA a partir de 2022.

– Fiquei muito feliz. É espetacular, o que a gente mais sonha quando entra na arbitragem. Agora a pressão aumenta, a responsabilidade é ainda maior. Então, é me preparar cada vez mais para fazer um excelente trabalho – disse a árbitra, que completou 35 anos no mês passado.

– É muito coisa acontecendo ao mesmo tempo… ainda estou assimilando, está caindo a ficha ainda – falou a árbitra mineira.

Trajetória

Natural de Belo Horizonte, Andreza viveu a infância e adolescência em Divinópolis, onde jogava futsal e futebol de campo. Apaixonada por esportes, voltou para capital mineira para cursar Jornalismo. Formou-se, mas não atuou na área. Descobriu a arbitragem através do incentivo de uma vizinha, a “tia Márcia”, e seguiu o caminho do apito.

Desde 2017, Andreza faz parte da equipe de arbitragem da Federação Mineira de Futebol. Em 2019, entrou para o quadro da CBF. A partir, da próxima temporada, ela passará a ter o escudo Fifa. A árbitra mineira contou quais são os próximos objetivos da carreira.

– A meta para o ano que vem é apitar o Módulo 1 do Campeonato Mineiro e a Série D do Brasileiro. E como árbitra internacional o meu primeiro sonho é fazer uma partida de Libertadores feminina. Depois, se eu conseguir, tenho metas maiores, mas vamos uma de cada vez – afirmou Andreza.

Depois da final do último sábado, Andreza seguiu para um período de descanso no litoral carioca. Mas, mesmo de férias, segue a cartilha de treinamentos e tem feito trabalhos na areia para chegar em forma para a temporada 2022.

Além de Andreza, Minas Gerais terá outros três representantes na arbitragem Fifa no próximo ano: os assistentes Guilherme Dias Camilo e Fernanda Nândrea e o árbitro de vídeo Igor Junio Benevenuto.

(GE GLOBO)

COMPARTILHE

Recomendado para você

alegria
Autor de dois gols no último jogo, Esli quer “transmitir alegria” quando entra em campo
invicto
Com derrota da Tuna, Paysandu é o único invicto do Campeonato Paraense
FPF
Caeté e Águia repudiam ataque racista contra o atacante Fidelis
Parazão
Júlio foca em “corrigir erros” da Tuna para reverter vantagem do São Francisco no jogo de volta das quartas