Carajás Esporte

verde

O homem chegou!

Bonamigo volta ao Remo falando em reconstrução e ‘conquistar hegemonia no Pará’

O Clube do Remo iniciou hoje, 3, a pré-temporada do ano de 2022. E no primeiro dia de trabalho, o comandante do time foi apresentado. Paulo Bonamigo retornou ao Baenão seis meses após a demissão.

Em sua entrevista, o treinador agradeceu a oportunidade de voltar ao Leão e citou o processo de reconstruição do clube. “É uma satisfação retornar ao Remo. Depois da primeira passagem, em 2000, fiquei exatamente 20 sem retornar e agora fiquei seis meses e estou retornando. Sinal que o sentimento tá maior, a vontade de voltar e a convocação que o presidente me fez resultou em aceitar. Sempre uma honra muito grande. Estamos reconstruindo. É normal cada final de temporada. Dentro do planejamento, tô participando de todas as contratações. Tem uma comunicação muito grande entre todas as partes em busca de reforços. O mercado é muito volátil. Pedimos paciência ao torcedor. Quando tem uma queda, há a frustração. O grupo tá se preparando pra fazer um retorno e pra isso nosso plano é uma equipe competitiva, com a cara do Remo, sempre com jogadores comprometidos em buscar as vitórias”, disse.

Sobre a formação do elenco, Bonamigo garantiu que está em busca de nomes que ajudem o Remo a crescer. “Acho que ainda vamos estudar a Série C. Temos outras prioridades. Pra chegar nesse objetivo de chegar na B é importante conquistar a hegemonia do futebol paraense. Temos que trazer jogadores de equipe, vitoriosos, que queiram crescer junto com a instituição. Não está faltando esforço. A imprensa sabe disso, a torcida sabe. Por mais que o Remo tenha atingido status nacional, pelo acesso, a Copa Verde, isso deu uma vitrine grande. Hoje é um clube organizado. Encontramos alguns receio de trazer algumas peças fundamentais, mas não está faltando esforço”.

Lições de outras passagens

“Acho que as lições são sempre tiradas de forma positiva. Quando você não tem atingido os objetivos. Tivemos passagens vitoriosas, saímos do Paraense invictos, fizemos a Copa Verde impecável, o acesso de forma fantástica. Tivemos a pandemia aqui dentro, que não afetou somente os atletas, mas também a comissão técnica. Isso teve reflexo. Tivemos a terceira fase na Copa do Brasil, jogamos duas partidas muito francas. Mostramos a força do Remo. Isso gerou desgaste mental que impossibilitou a continuidade no trabalho da Série B. Tô voltando disposto, com vontade e confiante de repetir o trabalho”.

Motivos para voltar

“Pela identificação, pelo conhecimento, pela força da camisa, por acreditar na proposta da diretoria. Esses são os principais ingredientes que me fizeram retornar”.

Montagem do elenco

“Estamos começando a montar, de uma forme intensa, com muita procura de bons valores, com jogadores que continuam. Fazendo essa mescla de jogadores já conhecidos do clube com os meninos que estão chegando. Queremos trazer homens além de grandes atletas profissionais”.

Utilização dos jovens

“Eles sempre terão. Muitos deles já passaram por mim, Hélio, Wallace. Eles deram resultado. Olhamos com carinho, sempre sem queimar etapas. Mas tem muitos jogadores que ganharam casca. Tem o Ronald, Pingo, o Mafra. Essa integração sempre será forte e buscando essa mescla pra chegar no time ideal”.

Relacionamento com a diretoria de futebol

“Não podemos fugir dentro do que é meu modelo de jogo, uma equipe com coragem. Sempre me atualizando, se reinventando. Hoje tem que buscar alternativas, a ciência tá aí, a tecnologia também. Tem que estudar e fiz isso nesses seis meses. Acompanho muito a Premiere League. E vamos adaptar isso com as características dos atletas. Prefiro sempre trazer jogadores intensos, com velocidade, com esse perfil pra fazer uma equipe competitiva, do jeito que a torcida gosta.

O mais importante é entrar num acordo do perfil de jogadores que procuramos. Dentro de um encaixe, da necessidade. Estamos tendo uma convivência boa. Temos respeito um pelo outro e seremos vitoriosos”.

 

(ROMANEWS)

COMPARTILHE

Recomendado para você

alegria
Autor de dois gols no último jogo, Esli quer “transmitir alegria” quando entra em campo
invicto
Com derrota da Tuna, Paysandu é o único invicto do Campeonato Paraense
FPF
Caeté e Águia repudiam ataque racista contra o atacante Fidelis
Parazão
Júlio foca em “corrigir erros” da Tuna para reverter vantagem do São Francisco no jogo de volta das quartas