Carajás Esporte

verde

Atlético-MG

“Amor além da vida”: torcida homenageia entes queridos que não viveram para ver o bi do Atlético-MG no Brasileiro

Avós, pais, filhos, tios, amigos... torcedores levam fotos de atleticanos que não viveram para ver a redenção do clube no Campeonato Brasileiro, depois de 50 anos de jejum

Foi dia de celebração, de mostrar para todo mundo a paixão pelo Atlético-MG. Mas foi também de homenagens. É amor além da vida. Muitos atleticanos foram ao Mineirão, neste domingo, e não se esqueceram daqueles que ensinaram o que é ser Galo, dos que dividiram anos de espera, mas não estão vivos para verem o clube celebrar o título do Brasileiro depois de 50 anos.

Torcedores falecidos são homenageados no Mineirão — Foto: Fred Ribeiro

Torcedores falecidos são homenageados no Mineirão — Foto: Fred Ribeiro

No lado de fora do Mineirão, a família do torcedor Felipe, que faleceu de câncer e ganhou condolências de Cuca e do presidente Sérgio Coelho, levou uma bandeira em homenagem ao atleticano. Ao lado, uma tia da família também foi homenageada, com a frase: “Galo até depois do fim”

Mariane homenageia o pai Valtinho no Mineirão — Foto: Rodrigo Fonseca

Mariane homenageia o pai Valtinho no Mineirão — Foto: Rodrigo Fonseca

Mariane levou uma foto do pai Valtinho. Em 2014, lado a lado no mesmo Mineirão, viram o time conquistar a Recopa, depois de dias complicados no hospital.

“Em 2014, antes da final da Recopa, meu pai infartou. Ele prometeu que, caso se recuperasse, me levaria contra o Lanús. Ele melhorou e fomos. Naquele dia, a gente gritou campeão juntos. Ele faleceu há três anos. Hoje, tenho certeza, que o meu grito aqui no Mineirão também é dele”

 

Amanda preparou uma homenagem especial. A fotografia do pai Naelzo foi colocada em um boneco de papelão.

“Meu pai era o maior atleticano que eu já conheci. Se hoje eu tenho alma preta e branca, foi devido a ele. Ele faleceu em 2014, logo depois da conquista da Copa do Brasil”

 

Amanda homenageia o pai Naelzo no Mineirão — Foto: Rodrigo Fonseca

Amanda homenageia o pai Naelzo no Mineirão — Foto: Rodrigo Fonseca

A tia Vera, de Ana Caroline, era tão apaixonada que só vestia uniformes e roupas relacionadas ao clube. Neste domingo, a camisa especial de Vera está com a sobrinha para a festa dos campeões.

“Ela me ensinou a amar o Galo. O guarda-roupa dela era dividido entre metade Galo e outra metade Galo também. Ele lutou contra um câncer e morreu em 2019. Ela não está aqui presencialmente, mas eu vim com a camisa preferida dela. E trouxe essa foto para ela ver o Galo campeão”

 

Ana Caroline homenageia a tia Vera no Mineirão — Foto: Rodrigo Fonseca

Ana Caroline homenageia a tia Vera no Mineirão — Foto: Rodrigo Fonseca

Brenda e Marcos não tem mais o pai presencialmente. Mas João é mais um atleticano que já partiu e foi lembrado na celebração alvinegra da conquista do Brasileirão.

“O pai era fanático pelo Galo. Não precisa falar mais nada né? Já estou chorando…”

 

Os irmãos Brenda e Marcos homenageiam o pai João no Mineirão — Foto: Rodrigo Fonseca

Os irmãos Brenda e Marcos homenageiam o pai João no Mineirão — Foto: Rodrigo Fonseca

Dentro do estádio outros inúmeros torcedores levaram fotos, cartazes, faixas, camisas, tudo para homenagear os entes queridos que sonharam com esse momento épico.

COMPARTILHE

Recomendado para você

CABEÇA FRIA
Abel põe “cabeça fria” à prova para não ficar fora de eventual final da Libertadores com o Palmeiras
PALMEIRAS
Por que Jhon Jhon é a melhor opção para substituir Dudu hoje
Guardiola
Guardiola rasga elogios a Rico Lewis, joia do City: “Um dos melhores que treinei”
ORIENTE MÉDIO
Moisés é liberado pelo Londrina após receber proposta de time do Oriente Médio