Carajás Esporte

verde

FORMULA 1

Hamilton revela que cogitou deixar F1 após se sentir ‘roubado’ em 2021

O sumiço das redes sociais após o polêmico desfecho da temporada 2021 da Fórmula 1, em Abu Dhabi, não foi por acaso. Lewis Hamilton revelou ter sentido que foi prejudicado de propósito na disputa contra Max Verstappen o fez questionar muitas coisas, inclusive se valia a pena continuar na categoria.

Hamilton e Verstappen chegaram empatados para a corrida final do ano, e tudo caminhava tranquilamente para o oitavo título do #44 da Mercedes, quebrando um dos recordes que até então pareciam inalcançáveis: o heptacampeonato de Michael Schumacher. Dominante desde a largada na corrida em Yas Marina, Hamilton chegou a ter 11s de vantagem sobre o holandês da Red Bull a cinco voltas do fim. Mas o safety-car provocado por Nicholas Latifi mudou a história.

Rapidamente, a Red Bull chamou Verstappen aos boxes e colocou pneus macios. Michael Masi, antigo diretor de prova, então, autorizou apenas que os carros entre os postulantes ao título — Lando Norris, Fernando Alonso, Esteban Ocon, Charles Leclerc e Sebastian Vettel — ultrapassassem o líder e realinhassem nas posições corretas, e não todos os retardatários, como indicava o regulamento.

“As coisas começaram a se desdobrar. E meus piores medos vieram à tona. Eu estava, tipo, ‘não tem como eles trapacearem assim. De maneira nenhuma. Isso não vai acontecer. Certamente não”, admitiu Hamilton, que ainda viu mais um erro da direção de prova: uma vez que as regras determinavam que o safety-car deveria permanecer na pista por mais uma volta após o realinhamento do grid, pelo número de voltas restantes, o GP de Abu Dhabi deveria ter terminado sob bandeira amarela.

A ordem de Masi acabou sendo determinante para a conquista de Verstappen, que ficou imediatamente atrás de Hamilton e, com pneus mais novos, não teve dificuldades para ultrapassar o #44 e conquistar o seu primeiro título na elite do automobilismo mundial.

“Não sei se consigo colocar em palavras o que senti. Eu me lembro de ficar ali sentado, incrédulo. E entendendo que tinha de soltar o cinto, sair de lá, sair disso, encontrar forças. Eu não tinha forças. Foi um dos momentos mais difíceis, diria, que tive em muito, muito tempo”, acrescentou Lewis.

Hamilton recebeu apoio de diversas pessoas, incluindo seu pai, Anthony Hamilton, que o abraçou e disse que sentia muito orgulho do filho. “Ter seu pai te abraçando dessa forma é uma das coisas mais profundas que já tive. Especialmente quando você cresce tendo isso poucas vezes”, continuou.

COMPARTILHE

Recomendado para você

alegria
Autor de dois gols no último jogo, Esli quer “transmitir alegria” quando entra em campo
invicto
Com derrota da Tuna, Paysandu é o único invicto do Campeonato Paraense
FPF
Caeté e Águia repudiam ataque racista contra o atacante Fidelis
Parazão
Júlio foca em “corrigir erros” da Tuna para reverter vantagem do São Francisco no jogo de volta das quartas