Carajás Esporte

verde

NBB

NBB começa neste sábado com novidades para a temporada 2022/23

Principal competição nacional de basquete volta a ser transmitida pelo sportv, conta com o retorno de Didi Louzada, que estava na NBA, e tem Flamengo, Franca, Minas e São Paulo como favoritos

A temporada 2022/23 do NBB, o Novo Basquete Brasil, começa neste sábado, às 18h15, com o jogo entre Minas e Flamengo, em Belo Horizonte, com transmissão do sportv. O retorno da parceria dos canais Globo com a liga, que durou 10 anos, é uma das novidades deste 15º ano da competição. Já na próxima quinta-feira, dia 20, é a vez do Corinthians receber o Flamengo, na primeira transmissão exclusiva do sportv, às 19h15. O Corinthians também estreia neste sábado, contra São José.

– A expectativa do Flamengo é sempre buscar o título. Mas o Flamengo não é o único favorito, há muitas outras boas equipes. Passada a pandemia, as equipes voltaram a investir. A gente pode esperar jogos de muita qualidade. Não tem jogo fácil no NBB – diz Gustavo De Conti, técnico do Flamengo e da seleção masculina brasileira.

O Flamengo de Gustavinho é o atual vice-campeão do NBB, após perder a decisão do ano passado para o Sesi-Franca. A capital nacional do basquete, aliás, traz outra boa novidade para esta temporada. Na última quarta-feira, o time de Franca anunciou a contratação de Didi Louzada.

Alex Garcia, Shamell, Marquinhos e Olivinha participaram de lançamento do NBB 2022-23 — Foto: João Pires/LNB/Divulgação

Alex Garcia, Shamell, Marquinhos e Olivinha participaram de lançamento do NBB 2022-23 — Foto: João Pires/LNB/Divulgação

O capixaba deixou o time em 2019, após ser selecionado no Draft da NBA, e retorna neste ano depois de disputar a liga da Austrália, pelo Sydney Kings, e a NBA, por New Orleans Pelicans e Portland Trail Blazers.

– Estou voltando para a minha segunda casa. Aqui em Franca eu fui muito feliz, foi a equipe que me projetou, que me ajudou a chegar à seleção brasileira, a realizar o sonho de competir numa liga internacional e jogar na NBA. Foram três temporadas fora do país, nesse período em ganhei experiência, melhorei o meu jogo, evoluí como atleta e é muito bom poder voltar ao (ginásio) Pedrocão. Voltei porque quero continuar escrevendo a minha história com essa camisa. Estou muito feliz e não vejo a hora de entrar em quadra – afirmou Didi.

Didi Louzada Portland Trail Blazers — Foto: Abbie Parr/Getty Images

Didi Louzada Portland Trail Blazers — Foto: Abbie Parr/Getty Images

 

Outro favorito ao título é o São Paulo, campeão da Liga das Américas neste ano, mas que acabou parando nas semifinais do NBB ao perder justamente para o Franca.

– Estou ansioso por esse começo, com equipes novas querendo surpreender as tradicionais. A gente pode esperar um campeonato duro, disputado, com grandes jogadores. Tem algumas equipes que estão um pouco à frente. O Franca, por ser o atual campeão, O Flamengo, pelo investimento, o São Paulo, último campeão da BCLA, Minas é muito bem montado. Vai ser um campeonato equilibrado – disse o pivô Marquinhos, do São Paulo, que estreia contra o Rio Claro, na próxima segunda, às 20h45, no interior paulista.

Alex Garcia ao lado da nova logomarca do NBB — Foto: João Pires/LNB

Alex Garcia ao lado da nova logomarca do NBB — Foto: João Pires/LNB

O estado de São Paulo, aliás, é o que tem mais representantes nesta edição, com oito equipes, sendo quatro delas da capital (além do próprio São Paulo, Corinthians, Paulistano e Pinheiros formam o quarteto). Já no interior estão o atual campeão Franca, o Bauru, o Rio Claro e o time de São José dos Campos. Unifacisa, da Paraíba, e Basquete Cearense representam o Nordeste. Minas e Flamengo são os outros dois do Sudeste. Cerrado e Brasília são do Centro-Oeste. E Caxias do Sul, Pato e União Corinthians do Sul. Não há equipes da região Norte do país.

– Participei dos 15 anos do NBB, desde o primeiro, com o Brasília, até agora, com o Bauru. E a gente vê o crescimento, o investimento dos clubes. Tô muito feliz. Espero que cada vez o basquete nossa cresça mais e a gente volte para o lugar que merece – diz o ala-armador Alex Garcia, que a partir desta temporada está eternizado na marca do NBB, com a silhueta de um gancho dele registrada na logomarca da competição.

Fonte: GE

 

COMPARTILHE

Recomendado para você

CABEÇA FRIA
Abel põe “cabeça fria” à prova para não ficar fora de eventual final da Libertadores com o Palmeiras
PALMEIRAS
Por que Jhon Jhon é a melhor opção para substituir Dudu hoje
Guardiola
Guardiola rasga elogios a Rico Lewis, joia do City: “Um dos melhores que treinei”
ORIENTE MÉDIO
Moisés é liberado pelo Londrina após receber proposta de time do Oriente Médio