Carajás Esporte

verde

VIZINHOS

Flamengo aposta em trio argentino para voltar a ser campeão do NBB

Contratatados para a atual temporada, Penka Aguirre, Jose Vildoza e Martin Cuello são algumas das armas do técnico Gustavo de Conti para recuperar a hegemonia do basquete brasileiro

O castelhano nunca foi tão falado na Gávea. Depois de ficar com o vice-campeonato na temporada passada, o Flamengo resolveu apostar num trio de argentinos para voltar a conquistar o NBB (Novo Basquete Brasil). Contratados na janela do meio do ano, Penka Aguirre, Jose Vildoza e Martin Cuello são algumas das armas do Rubro-Negro, que estreia neste sábado às 18h30 contra o Minas, em Belo Horizonte – o sportv2 transmite ao vivo.

– Eu gosto muito de trabalhar com jogadores argentinos, especialmente esses que têm muita qualidade, são líderes e que possuem um estilo de jogo muito parecido com o que eu gosto. Eles também são caras que sabem acelerar o jogo, mas também controlar no cinco contra cinco. Enfim, acho que conseguimos montar um elenco equilibrado – comentou o técnico Gustavo de Conti.

Penka Aguirre e Jose Vildoza no treino do Flamengo — Foto: Reprodução

Penka Aguirre e Jose Vildoza no treino do Flamengo — Foto: Reprodução

O primeiro a chegar foi Nicolas “Penka” Aguirre. Com 1,89m e 34 anos, o jogador é hexacampeão argentino, campeão da Liga das Américas, e, em 2015, foi MVP da Liga Argentina. Atleta da seleção hermana, ele estava no Peñarol antes de chegar à Gávea no fim de junho.

– Todos sabemos que o Flamengo é um clube grande, muito vencedor no basquete, como vem mostrando nos últimos anos e nós estamos aqui fazendo uma preparação 100% para chegar forte no NBB e buscar esse título – comentou o armador.

Martin Cuello Flamengo basquete — Foto: Reprodução

Martin Cuello Flamengo basquete — Foto: Reprodução

– Estou muito feliz por estar aqui. Agradeço ao clube por confiar em mim. Todos sabemos como o Flamengo é grande, temos muitos desafios pela frente e vamos lutar por isso. Vamos deixar o Flamengo no topo, como ele merece – frisou.

Por fim, já em julho, o clube carioca fechou com mais um armador: Jose Vildoza. Considerado um dos melhores na sua posição na da América do Sul, o jogador de 26 anos e 1,91m estava no KK Cibona, da Croácia antes de ser contratado pelo Flamengo.

– Eu já conhecia o Flamengo de tê-lo enfrentado pelo San Lorenzo. Sabemos que é um clube grande, de massa e nós sabemos da responsabilidade que teremos de levar o time de volta à conquista do NBB – afirmou.

Fla tem histórico de muitos argentinos

 

Desde que tornou-se uma potência no basquete, o Flamengo vem investindo bastante na contração de jogadores argentinos. Em 2011/12, o clube anunciou a chegada de Federico Kammerichs, MVP da Liga das Américas da temporada anterior atuando pelo Regatas Corrientes.

Pouco depois, em 2013, chegou à Gávea aquele que seria um dos maiores ídolos da história do basquete rubro-negro. Contratado junto ao Lanús, Nicolás Laprovittola – hoje no Barcelona – ganhou todos os títulos possíveis com a camisa do Flamengo: duas edições do NBB, uma Liga das Américas e a Copa Intercontinental de 2014. Laprovittola deixou o Flamengo em 2015.

Laprovittola em ação pelo Flamengo em 2015 — Foto: Ricardo Bufolin/Divulgação ECP

Laprovittola em ação pelo Flamengo em 2015 — Foto: Ricardo Bufolin/Divulgação ECP

 

O último argentino de destaque a vestir a camisa rubro-negra foi Franco Balbi, que deixou o clube após o NBB 2021/22. Em quatro anos de Flamengo, o armador levantou quatro Cariocas, dois NBBs, uma Champions League Americas, uma Copa Intercontinental e duas Copas Super 8.

– A cultura basquetebolista na Argentina é diferenciada. Não é à toa que o sucesso do Flamengo passou por craques como Filloy, Laprovittola, Herman e Balbi. A internacionalização da marca está trazendo frutos também no basquete. O FlaBasquete, com Vildoza, Penka Aguirre e Loku Cuello, poderá reeditar as equipes inesquecíveis da nossa história – comentou o vice-presidente de esportes olímpicos do Flamengo, Guilherme Kroll.

 

 

COMPARTILHE

Recomendado para você

alegria
Autor de dois gols no último jogo, Esli quer “transmitir alegria” quando entra em campo
invicto
Com derrota da Tuna, Paysandu é o único invicto do Campeonato Paraense
FPF
Caeté e Águia repudiam ataque racista contra o atacante Fidelis
Parazão
Júlio foca em “corrigir erros” da Tuna para reverter vantagem do São Francisco no jogo de volta das quartas